Assaltos crescem em Surubim: gerando medo na população e vítimas

O número de assaltos cresceu de forma considerável em Surubim entre o final de julho e o começo de agosto. Para se ter uma ideia, em 24h, entre a noite do dia 31/7 e 1/8, cinco motos foram roubadas. Na data de publicação desse texto, todas elas já tinham sido localizadas e entregues aos respectivos donos, não pela ação efetiva da polícia, mas porque estavam abandonadas em locais despovoados, após os ladrões as terem utilizados para realizar assaltos. Esse tipo de prática (abandonar um veículo e roubar outro) é comum entre os bandidos, para dificultar a identificação e executar crimes em série. No começo da manhã do dia 1/8 um professor teve R$ 350 roubados no Sítio Mimoso, na zona rural e dois Toyotas Bandeirantes, que transportavam estudantes e passageiros, foram abordados pelos criminosos, na mesma região.
 
Como se não bastasse a quantidade de motos roubadas nesse curto espaço de tempo, dois carros foram tomados de assalto nos dias 1/8 e 2/8, na porta da residência dos seus proprietários. Os roubos aconteceram no Bairro São José e próximo ao Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Surubim. Em todas essas ocorrências as vítimas relataram que os assaltantes estavam em uma motocicleta, armados de revólver e eram jovens.
 
O mais grave e assustador até agora, é que a Polícia Militar ainda não prendeu nenhum suspeito de praticar esses crimes. Apesar do 22.º BPM ter um Serviço Reservado de Inteligência, os bandidos sequer foram identificados, continuam “tocando o terror” na cidade e desafiando os órgãos de segurança do município.
 
Essa recente onda de assaltos já deixou inclusive uma pessoa morta. Um autônomo de 28 anos, que foi baleado na noite da sexta-feira (27/7) ao fugir de ladrões no Loteamento Solon de Melo, zona rural de Surubim. José Edson Pereira da Silva, foi abordado por dois homens encapuzados. Na tentativa de fugir dos criminosos, ele aumentou a velocidade da motocicleta que pilotava e foi atingido por um disparo de arma de fogo, na região do abdômen. Mesmo ferido, ainda conseguiu conduzir o veículo por alguns metros, mas perdeu o controle da moto e caiu.
 
O autônomo foi levado por uma equipe do Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) no bairro do Coqueiro e seguiu para o Hospital Otávio de Freitas, em Recife, onde morreu dois dias depois. Ele era filho único e morava na Rua “L”, Vila da Cohab I, mais conhecida por Vila de Jacó. Relatos de assaltos na área em que o homem foi baleado e nas estradas que dão acesso às comunidades de Chéus, Bandinha e Furnas têm sido frequentes.
 
Além do roubo de motos e carros, estabelecimentos comerciais voltaram a ser alvo dos bandidos. Na semana anterior, duas padarias, uma na Vila Social e a outra na Chã do Marinheiro foram assaltadas. No sábado (4), duas lojas de eletrodomésticos, na Rua Agamenon Magalhães, no Centro da cidade também. Os ladrões tinham as mesmas características já relatadas. Até o momento da publicação esta matéria, os gerentes das lojas não haviam procurado a Delegacia de Polícia Civil para registrar boletins de ocorrência. E na tarde desta segunda-feira (6), uma moto Broz 150, preta, foi roubada na Rodovia PE-90, em Lagoa da Vaca, engrossando as estatísticas de assaltos na cidade.
 
A população está amedrontada, sem resposta para esses crimes e os bandidos seguem agindo livremente e a qualquer hora do dia. Com a palavra, as Polícias Civil e Militar.
 
(fonte: Correio do Agreste)

Fundador e editor-chefe do Jornal Correio do Agreste, além de comentarista político, escritor, pecuarista e entusiasta cultural.

Notícias Recentes