“Avó nazista” que negou o Holocausto é encontrada e levada à prisão

(fonte: G1)
 
A polícia alemã localizou e prendeu nesta segunda-feira (7) uma figura do negacionismo alemão, Ursula Haverbeck, de 88 anos de idade e conhecida como a “avó nazista”, depois que ela não se apresentou para cumprir uma sentença de prisão.
 
“A condenada não compareceu ao término do prazo legal para iniciar sua sentença de detenção, então o escritório do procurador de Verden (norte) emitiu um mandado de prisão em 4 de maio de 2018”, declarou a procuradoria em um comunicado antes do anúncio da prisão.
 
A idosa foi localizada nesta segunda em sua residência em Vlotho, segundo a agência de notícias DPA. Ela foi detida e levada imediatamente à prisão. Haverbeck, condenada oito vezes por suas declarações negacionistas, deve cumprir uma pena total de dois anos de prisão. Ela deveria ter se apresentado para ser presa em 23 de abril.
 
Sua última sentença, a seis meses de prisão, foi pronunciada em outubro passado. Haverbeck foi punida por ter declarado em janeiro de 2016 que o genocídio de judeus pelos nazistas não existiu e que nunca houve câmaras de gás em Auschwitz. Haverbeck também foi condenada em 2015 por ter dito que o Holocausto foi “a maior mentira” da história. Até agora, a “avó nazista” não passou um único dia atrás das grades.

Fundador do 1° jornal de Casinhas, o extinto “Casinhas Hoje”; correspondente há 20 anos do jornal Correio do Agreste, de Surubim; e editor há 7 anos do 1° blog de notícias da cidade, o Mais Casinhas. O comunicador pioneiro também foi realizador do 1° filme rodado no lugar, “Passarelas, Uma História de Carnaval”, selecionado pelo “Revelando os Brasis”. E é um dos coordenadores do Núcleo Agreste Setentrional da Associação dos Blogueiros de PE.

Notícias Recentes