Chuvas causam transtornos em várias ruas de Surubim

As chuvas intensas que caíram em Surubim durante a madrugada e o começo da manhã desta sexta-feira (13), provocaram alagamentos e outros transtornos em vários bairros da cidade. As ruas: Manoel João Pessoa, no Bairro São Sebastião, Jerônimo Heráclio, no Centro, a estrada de acesso à Lagoa Nova e a entrada do Bairro Bela Vista foram os principais pontos que ficaram alagados, dificultando a passagem de pessoas e veículos. Na Bela Vista, algumas residências próximas ao canal da comunidade, foram invadidas pela água. Na Rua Severino Clemente de Arruda, parte do muro da antiga usina de beneficiamento de algodão da família Farias, desabou. O calçamento da via também foi danificado.
 
A Prefeitura de Surubim montou uma equipe para avaliar os estragos provocados pelo temporal e dar assistência aos moradores, sobretudo da Bela Vista, que foi o setor mais afetado, por ser localizado exatamente na área mais baixa da cidade. Não há informações de desalojados ou desabrigados.
Canal no Bairro Bela Vista transbordou e a água invadiu residências (Foto: Reprodução/ WhatsApp)

Canal no Bairro Bela Vista transbordou e a água invadiu residências (Foto: Reprodução/ WhatsApp)

Segundo a Agência Pernambucana de Águas e Clima (Apac), choveu 74 mm em Surubim. As chuvas mais fortes tiveram início por volta das 3h e só cessaram pouco depois das 7h. O acumulado representa 66% do esperado para o mês de abril que é de 112,7 mm. Do começo do mês até agora, conforme informa a Apac, já choveu 142,4 mm no município, valor 26% acima da média. Ainda de acordo com a agência, em todo o Agreste Pernambucano, nas últimas 24h, a maior chuva aconteceu em Casinhas, que registrou 102 mm.
 
Barragem de Jucazinho
 
As chuvas em Surubim não contribuem com a recarga da Barragem de Jucazinho, porque escoam pelo Rio Cai-Aí e desembocam no Rio Capibaribe, depois do paredão do reservatório. Nas cidades em que as águas seguem para Jucazinho choveu menos que Surubim, confira os números: Brejo da Madre de Deus (12,5 mm), Riacho das Almas (12 mm), Santa Cruz do Capibaribe (19,3 mm), Toritama (18 mm), Frei Miguelinho (27,9 mm) e Vertentes (28,6 mm). Desde o último final de semana o manancial continua acumulando água. Nesta sexta-feira (13), o total era de 9,3 milhões de m³, ou 2,85% da capacidade máxima, que é de 327 milhões de m³.

Fundador e editor-chefe do Jornal Correio do Agreste, além de comentarista político, escritor, pecuarista e entusiasta cultural.

Notícias Recentes