Surubim está regredindo ao invés de evoluir em serviços bancários

Nos últimos meses, grande parte da população de Surubim e de municípios circunvizinhos, está penando por causa de problemas nas agências bancárias, que não oferecerem serviços à altura do necessário. Também devido à operação criminosa de proporções acachapantes registrada em julho. 
 
O Bradesco não sofreu danos relevantes no assalto que atingiu 4 agências. Apesar disso, sem justificativas convincentes, os seus caixas não estão disponíveis. Pior, há rumores que o atendimento está sendo feito à surdina, numa sala reservada apenas para “certos clientes”.
 
O Santander está com cofre novo, mas atualmente só aceita boletos do próprio banco, pois deixou de receber documentos de outros bancos como vinha fazendo anteriormente, ponderando acerca de dificuldades.
 
A Caixa Econômica da mesma forma está de cofre novo, porém, não retornou com todos os seus serviços, alegando ainda complicações resultantes pelo assalto já mencionado.
 
Enquanto isso, o Banco do Nordeste vem se prontificando a atender clientes tradicionais e outros de outras agências. Dessa maneira, ficando tanto sobrecarregado quanto com altas despesas por causa dos custos com carros-fortes.
 
Por fim, o Banco do Brasil segue sem cofre novo e sem data de retorno total. O que prejudica a conjuntura local, influenciando negativamente na economia surubinense, ademais, rendendo muitos transtornos físicos, financeiros e psicológicos. Diante de tal resumo, cheio de incertezas, só resta afirmar: ISSO É UMA VERGONHA!

A comunicação me fascina. Gosto de relatar, informar e opinar. Portanto, pus no ar um site pra expor minha terra de uma maneira dinâmica, sob o meu prisma e o de outros autores.

Notícias Recentes