Tá tudo errado…

 (escrito por: Wagner Sarmento, repórter do Jornal do Commercio)

As redes sociais são um troço fantástico e sua lista de virtudes é gigante. Não cabe aqui citar. Mas elas são de um perigo ainda mais monumental e o Brasil como um todo, não apenas Pernambuco, vem sofrendo com este monstro incontrolável. Somos um país ainda ignorante, ainda ingênuo, ainda despreparado pra lidar com esta ferramenta. E parecemos desnorteados com seu alcance e efeito.

Um exemplo clássico disso é a tal da TV Revolta. Não há nada mais despolitizado, evasivo e falacioso do que esta página. Encampa uma insatisfação vazia, tola, perfeita pros analfabetos digitais acharem que estão sendo megarrevolucionários quando, na verdade, servem de caixa de ressonância pra discursos conservadores e temerários.

A greve da PM evidenciou também como a maldade, despida de qualquer capacidade reflexiva, está impregnada em nossa sociedade e tem nas redes sociais um catalisador de risco preocupante. Os indignados que compartilham correntes contra a corrupção, contra o mensalão, contra a Copa do Mundo, contra Deus e o mundo, são os mesmos que criam e reverberam boatos de arrastões, assaltos, mortes e estupros como se fora brincadeira, amplificando o clima de terror em vez de trabalhar, com senso coletivo, pela busca da tranquilidade. Os mesmos que se aproveitam da ausência momentânea da PM pra furtar. Os mesmos que jogam lixo na rua e reclamam dos alagamentos. Os mesmos que lincham. Os mesmos que aplaudem o discurso superficial, despreparado e preconceituoso de Ney Matogrosso. Os mesmos incapazes de separar o joio do trigo. Filtro zero.

Não bastasse a vulnerabilidade do cenário atual de paralisação policial, a população ainda faz o grande favor de jogar contra si mesma. Uma autodestruição que impressiona, retumba.

O Brasil, Pernambuco e o Recife – cada um a seu modo, independentemente de A ou B que estejam no governo – evoluíram um bocado nos últimos anos, é igualmente certo que ainda tem muita coisa que precisa ser (re)feita e é nos erros e acertos, nas topadas e empurrões, nas urnas e protestos, que a democracia vai se consolidando. Mas bate um desânimo ver as redes sociais explodirem como plataforma descoordenada de manipulação travestida de revolta e como alto-falante pra irresponsabilidade. Cansa.

Luiz Carlos Mota

A comunicação me fascina. Gosto de relatar, informar e opinar. Portanto, pus no ar um site pra expor minha terra de uma maneira dinâmica, sob o meu prisma e o de outros autores.
Seguir:

Notícias Recentes