Pesquisador defende transformar devastação do Mar Morto em oportunidade turística

(fonte: G1)
 
A retração do Mar Morto é um fato. Cientistas constataram que o desaparecimento tem ocorrido a um vertiginoso ritmo de um metro por ano. 
E, à medida em que o mar retrocede, enormes crateras ficam como registro dessa devastação. Hoje, há um total de 6,5 mil crateras em áreas que uma vez foram parte do mar Morto.

Portal voltado principalmente para Surubim & Região, por meio de notícias e opiniões. Mas também direcionado para assuntos relevantes no restante do Brasil e do mundo em geral.

Notícias Recentes